Priscila Armani – Jornalista

Cinema, cultura, mídia e variedades nas palavras livres de uma jornalista.

Ver e enxergar (ou o último dia de CineBH)

leave a comment »

janela-da-alma04

Hoje (04/11) terminou a Mostra CineBH e foi o único dia em que tive tempo de ir. Lamentei demais não ter ido na Segunda-feira ver a pré-estréia de “Feliz Natal“. O Selton Mello estava lá. Se eu soubesse, não teria perdido a oportunidade de entrevistá-lo!

Mas assisti Janela da Alma, documentário feito em 2001 e adorei. Nele, 19 personalidades e também pessoas comuns falam sobre suas percepções de mundo, tendo por fio condutor a visão. Temos o vereador de Belo Horizonte Arnaldo Godoy, que é cego e descreve o drama que foi perder a filha pequena no mar; temos Hermeto Pascoal e seus olhos que não param quietos e temos o diretor Win Wenders, que não consegue usar lentes de contato, por serem muito “abrangentes”.

Mas o que mais me tocou, mesmo, foi a cena final do filme e não se preocupem, que não estarei fazendo nenhuma grande revelação aqui. Podem ler tranquilos.

Nasce um bebezinho, de parto normal e cheio de sangue. Passam uma toalha nele, limpando-o. Ele chora. A câmera, então, focaliza os olhinhos dele. Eles acabaram de abrir. Ficam piscando. E experimentam a luz do mundo pela primeira vez. Uma metáfora muito bonita, que só entende quem vê o documentário.

Anúncios

Written by Priscila Armani

terça-feira, novembro 4, 2008 às 11:16 pm

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: